RESULTADOS DA SEMANA 03 e 04/5

ESCOLAS SOBREIRENSE
COIMBR√ēES 1-3
INICIADOS SOBREIRENSE
ERMESINDE 3-3
SENIORES SOBREIRENSE
FREIXO DE CIMA 2-6

Plantel do ISCS - clique em cima para ampliar

A equipa resistente dos seniores do ISCS que até pagariam para jogar.
(clique em cima para ampliar)

Entrega de uma lembrança ao treinador principal dos seniores, Zé Fernando.
(clique em cima para ver a lembrança em detalhe)

16 Coment√°rios a “RESULTADOS DA SEMANA 03 e 04/5”

  1. Adepto amigo diz:

    Mais uma vez repito, com √°rbitros assim n√£o d√° para fazer melhor.

    Espero que n√£o haja muitos √°rbitros assim.

    Força Sobreirense, vocês merecem muito mais.

  2. fruta diz:

    Existe muita palha√ßada que est√° escondida, mas n√£o iram muito longe. √Č de lamentar que isto esteja a acontecer no escal√£o mais baixo do futebol. √Č s√≥ mercen√°rios. Desde imporem para que a bola ao intervalo fossem trocadas pelas do Coimbr√Ķes. Sem coment√°rios.

  3. Santi diz:

    Estes coment√°rios s√£o de algu√©m que n√£o sabe do que esta a falar, basta ler o regulamento, e mais foi lament√°vel ver a atitude de algumas pessoas na inten√ß√£o de amedrontar o colectivo do Coimbr√Ķes e mais lamentavel ainda foi ver directores desse clube a incitarem os atletas a praticarem anti-Futebol. Nem sempre quando se perde a culpa √© do arbrito.

  4. André diz:

    realmente quem colocou o √ļltimo coment√°rio √© que n√£o sabe do que est√° a falar…

    o regulamento com as leis do jogo encontra-se aqui:
    http://www.afporto.com/afporto/PDFS/regulamentos/leis/l1.pdf

    e tem um capítulo inteiramente dedicado à "Bola" (Lei 2) que passo a transcrever:

    "[b]Caracter√≠sticas e dimens√Ķes[/b]
    A bola:
    ‚ÄĘ √© esf√©rica
    ‚ÄĘ √© feita de couro ou de outro material equivalente
    ‚ÄĘ tem uma circunfer√™ncia de 70 cm no m√°ximo e de 68 cm no m√≠nimo
    ‚ÄĘ pesa no m√°ximo 450 g e no m√≠nimo 410 g no come√ßo do jogo
    ‚ÄĘ tem uma press√£o equivalente a 0,6 – 1,1 atmosferas (600 – 1100g/cm2) ao n√≠vel do mar

    [b]Substituição da bola defeituosa[/b]
    Se a bola rebenta ou se deforma no decurso do jogo:
    ‚ÄĘ o jogo ser√° interrompido
    ‚ÄĘ o jogo recome√ßa, com uma nova bola, por um lan√ßamento de bola ao solo no local
    em que se encontrava a primeira bola no momento em que se deteriorou
    * (ver p. 3)
    Se a bola rebenta ou se deforma quando não está em jogo antes da execução dum
    pontapé de saída, pontapé de baliza, pontapé de canto, pontapé-livre, pontapé de
    grande penalidade ou dum lançamento da linha lateral:
    ‚ÄĘ o jogo recome√ßa em conformidade
    A bola só pode ser substituída durante o jogo com autorização do árbitro."

    Seguindo-se mais uma p√°gina com as regras da FIFA para encontros de selec√ß√Ķes e refer√™ncias internacionais permitidas encontradas na bola.

    Caso a equipa do Coimbr√Ķes pratique a modalidade de futebol, s√£o estas as regras por que se tem de guiar, n√£o vale a pena inventar mais, para isso existe o FIFA International Board que certamente n√£o usou o jogo passado para testar novas leis de jogo.

  5. Santi diz:

    Com esta frase do regulamento está tudo explicado.."A bola só pode ser substituída durante o jogo com autorização do árbitro.", que foi o caso.

    Já a gora uma dica o Progresso só joga na base do chuto para a frente para a corrida dos seus melhores miudos. Atenção pois jogam muito bem nas costas dos defesas. Boa sorte para o proximo sabado.

  6. fruta diz:

    Sobre a bola continuas a ter mesmo que frequentar um curso (Desde imporem) é o que está no comentário. Quanto ao resto sem comentários.

  7. André diz:

    Santi, a diferen√ßa est√° mesmo a√≠… n√£o √© a equipa que tem o direito de exigir jogar uma das partes com as suas bolas. O √°rbitro tem sim a POSSIBILIDADE de pedir uma mudan√ßa de bola, se considerar que a bola n√£o est√° em condi√ß√Ķes (e as condi√ß√Ķes s√£o as que est√£o no regulamento).

    Sinceramente, não acredito que todas as bolas do Sobreirense estivessem em mau estado e não cumprissem o regulamento, para que o árbitro considerasse que teriam de ser usadas outro tipo de bolas. Acho ainda mais estranho que estando todas as bolas em mau estado, o árbitro só tenha dado conta das deficiências ao intervalo.

    Simplesmente não houve razão regulamentar para que tal acontecesse. Não vale a pena argumentar porque aconteceu, porque sei por experiência própria que tal discussão não dará qualquer tipo de resultado prático, nunca deu em 11 anos de futebol que tenho e não será agora que algo mudará.

    Apenas lamento que √°rbitros destes continuem a servir-se do futebol para ganharem uns trocos em part-time, sem que tenham a paix√£o e o respeito pelo jogo (e seus intervenientes) exigidos. Deveriam, isso sim, saber assumir com humildade, o papel secund√°rio que lhes √© reservado em campo, tentando, na medida das suas possibilidades (onde se pressup√Ķe o conhecimento das leis de jogo), serem justos e imparciais nas suas decis√Ķes, n√£o desvirtuando aquilo que deve ser, principalmente a este n√≠vel, uma divers√£o com regras pautada por uma competitividade saud√°vel.

  8. Zé Carlos diz:

    Caro Andr√©…

    Lamento desiludi-lo mas se houver algu√©m a fazer batota, esse algu√©m n√£o estar√° com certeza ligado ao Sporting Clube de Coimbr√Ķes e passo a explicar o porqu√™:

    O Senhor apresentou aqui, e muito bem, as leis de jogo de 2006 do International Football Association Board adaptadas pela FEDERA√á√ÉO PORTUGUESA DE FUTEBOL nas suas competi√ß√Ķes, por√©m h√° um facto muito importante que lhe passou ao lado… Essas s√£o as leis de jogos… repito… LEIS DO JOGO… no entanto cada competi√ß√£o tem o seu regulamento… e √© isso que lhe escapa… pois para al√©m das leis de jogo tem tamb√©m que existir um regulamento espec√≠fico da competi√ß√£o, assim se consultar o site da ASSOCIA√á√ÉO DE FUTEBOL DO PORTO poder√° encontrar o dito regulamento para o campeonato distrital de juniores \\"E\\", vulgo campeonato de escolas, mas n√£o se ma√ße, eu poupo-lhe o trabalho e coloco aqui esse mesmo regulamento.

    [url]http://www.afporto.com/afporto/PDFS/regulamentos/afp/afp8.pdf[/url]

    Posto isto veja a p√°gina 20, ponto 104.14… J√° viu? Esclarecido? passo a citar…

    \\"104.14 РAo grupo visitado competirá sempre fornecer as bolas necessárias, no mínimo de
    três, para o jogo, mas permite-se que cada um dos clubes apresente uma bola
    para cada metade do encontro. Nos jogos em campo neutro, esta √ļltima regra
    dever√° ser observada.\\"

    Focando o essencial… \\"MAS PERMITE-SE QUE CADA UM DOS CLUBES APRESENTE UMA BOLA PARA CADA METADE DO ENCONTRO!\\"

    Como diria o saudoso Fernando Pessa… \\"E ESTA HEIN?\\"

    Revejam a postura, pensem nas palavras antes de as proferirem e nos actos antes da sua ac√ß√£o… √© realmente lament√°vel que algu√©m ligado √† forma√ß√£o de um clube v√° para o balne√°rio visitante dar murros nas portas… ūüôĀ

    Com os melhores cumprimentos,

    De algu√©m competentemente formado…

  9. André diz:

    Confesso que desconhecia essa regra. O desconhecimento n√£o √© desculpa por isso dou-lhe raz√£o. Talvez por considerar a regra "artificial" e pouco √ļtil, dado que as caracter√≠sticas da bola j√° est√£o padronizadas pelos regulamentos mais abrangentes, n√£o me tivesse passado pela cabe√ßa que pudesse existir algo do g√©nero.

    Quis verificar a ideia que tinha recorrendo às leis de jogo para não falar sem saber, porém acabei por fazê-lo na mesma pois o regulamento específico da AFP não se fica pelas leis genéricas onde se definem a maior parte dos assuntos relativos às bolas de jogo. Mas se tal regra existe (como se verifica) então é para ser cumprida e não tenho razão ao protestar contra a sua aplicação. Desde já obrigado por nos ter elucidado quanto a esta questão. Estamos sempre a aprender.

    No entanto, e n√£o querendo com isto justificar qualquer coisa que seja, devo dizer que a √ļltima parte da regra n√£o deixa de ser amb√≠gua…

    Pergunto-me o quão válido é considerar-se que "permite-se que apresente uma bola" significa o mesmo que "o clube visitante tem o direito de exigir a realização de metade do encontro com bolas por si apresentadas"? Porque a primeira não traduz claramente a segunda (a forma como a regra foi usada no jogo).

    Ali√°s, penso que sendo o objectivo da regra promover um maior equil√≠brio entre os factores que possam influenciar o resultado (neste caso a bola), a realiza√ß√£o da tal "segunda regra", deve advir do consentimento e discuss√£o pr√©via entre os clubes e o √°rbitro. N√£o √© pr√≥prio do fair play, decidir algo deste g√©nero a meio de um jogo de futebol sem que tenham sido tomadas em conta as v√°rias posi√ß√Ķes das equipas. Se at√© a posse de bola √© alvo de sorteio antes do jogo, porque raz√£o n√£o foram discutidas tamb√©m as partes em que cada equipa colocaria a sua bola? Se a preocupa√ß√£o com o tipo de bolas era t√£o grande porque n√£o pediram para as experimentar durante o aquecimento de forma a que a discuss√£o seja feita em tempo oportuno? Se queremos ser s√©rios, sejamos completamente s√©rios. A forma como foi usada n√£o me parece correcta. A vontade de regulamentar √© tanta que acaba por n√£o se regulamentar nada ou ainda regulamentar mal. A vontade de parecer grande √© tanta que se acaba por esquecer o b√°sico, o esp√≠rito com que deve ser encarado o jogo.

    N√£o quero reclamar a raz√£o para mim, pois j√° reconheci que desconhecia a exist√™ncia desta regra (assim como passo agora a considerar que talvez desconhe√ßa muitas outras que sejam espec√≠ficas da AFP), apenas levanto as quest√Ķes que penso que qualquer pessoa que analise imparcialmente a regra colocar√°.

    Quanto ao facto de ter tido a vontade de assinar como sendo algu√©m "competentemente formado", s√≥ lhe posso dar os parab√©ns. N√£o tenho muita paci√™ncia para indirectas por isso vou ser claro… Existem v√°rios tipos de forma√ß√Ķes, a minha por exemplo (a n√≠vel desportivo), √© mesmo dentro de campo como jogador com a √ļnica vontade de se divertir a jogar futebol, sem qualquer tipo de interesse na carreira de treinador. Acho que a parte importante est√° realmente no jogo em si e n√£o em tudo o que se possa criar √† volta deste. Percebi que desconhecia a regra, n√£o tenho problemas em admiti-lo, mas duvido que isso fa√ßa de mim algu√©m incompetentemente formado.

    Para al√©m da sua compet√™ncia tamb√©m lhe quero dar os parab√©ns por terem sido a primeira equipa que vi em 11 anos de futebol a fazer uma exig√™ncia deste tipo, baseada num pormenor de uma regra da AFP, e logo no escal√£o de escolas. √Č pena que o mesmo preciosismo n√£o se verifique noutras situa√ß√Ķes mais prementes, como para exigir ao √°rbitro que n√£o mande repetir uma grande penalidade quando o guarda-redes advers√°rio apenas se movimenta ao longo da linha de golo (o que √© legal e est√° no regulamento, a menos que a AFP tenha tamb√©m constru√≠do mais uma "especialidade" nas suas regras).

    Cumprimentos,
    De alguém eternamente em formação.

  10. Pedro Lopes diz:

    Obvio que sim.
    Eu sou arbitro e isso é inteiramente verdade.
    O sr. Zé Carlos tem toda a razao.
    Ja me aconteceu isso tambem, que quiseram que a bola fosse trocada ao intervalo, sendo uma parte as bolas da equipa da casa e a outa parte as bolas da equipa de fora.

    O que mais me chateia é que estamos a fazer o nosso trabalho conforme as leis, e as pessoas que estão assistir mandam vir connosco porque desconhecem as leis. Por exemplo quando fiz um jogo no Lavrense. Quando um guarda redes e um jogador de campo se lesionam num lance, e pedem os dois assistencia, o jogador de campo se recuperar antes do guarda redes nao precisa de sair para fora do terreno de jogo. Por isto mesmo o publico dizia que ele tinha sair do terreno, algo que nao é verdade.

    Quanto ao Coimbroes ter exigido isso, é porque é uma equipa com gosto no que faz e que está sempre atenta ao que se passa, algo que nao acontece com muitas as equipas aqui no Porto, que tem um amadorismo enorme.

    Com os melhores cumprimentos,
    Pedro Lopes

  11. Pedro Lopes diz:

    Mais vale tar calado quando nao se sabe nao é "fruta"??

  12. André diz:

    concorda então que se decida que ao intervalo que a equipa visitante escolha as bolas para a segunda parte, sem a mínima discussão prévia com a equipa adversária?

    E se a equipa da casa preferisse jogar a segunda parte com as suas bolas e a primeira com as da equipa visitante? Existem ordens de preferência estabelecidas?

    Mas afinal para que se fazem sorteios de campo e de posse de bola inicial, se depois uma decisão destas (muito mais importante) é feita sem o mínimo de discussão, a meio de um encontro, à margem do fair-play? Apenas me parece uma mera tentativa de aproveitamento, mais própria de um advogado num julgamento, que de desportistas num jogo de futebol.

    Quanto a ser criticado quando na realidade n√£o deve ser, tem toda a raz√£o, mas a critica ao trabalho dos √°rbitros n√£o √© na sua maioria feita nessas condi√ß√Ķes. Os adeptos do ISCS n√£o se queixam da arbitragem apenas por desconhecerem essa regra. Tenho a certeza que se fosse esse o √ļnico (falso) problema da arbitragem, seriam os primeiros a dar os parab√©ns √† equipa de √°rbitros.

  13. pai natal diz:

    pah alguem me pode arranjar os videos do sr matos na entrega das lembran√ßas sff…
    abraços pos sobreirenses

  14. Pedro Lopes diz:

    Quando assim é, é preciso haver acordo entre as duas equipas e avisar o arbitro que isso se vai ocorrer. O arbitro apenas tem que ser avisado, o resto ja nao é com ele. As duas equipas que se decidam.
    E no comentario do "fruta" nao diz que foi acordado ao intervalo. Diz apenas que queriam que fossem trocadas as bolas ao intervalo.

    O sorteio inicial, é feito apenas para a escolha do campo, quem ganhar o sorteio terá que escolher o lado para o qual atacará na primeira parte, a equipa que perdeu o sorteio fica automaticamente com a posse da bola.

    Pode nao ser so assim, mas por muitas vezes é.
    Ate muitas vezes os jogadores e os dirigentes desconhecem as leis de jogo, vindo depois dizer que fizemos um mal trabalho. √Č impossivel nos fazermos o nosso melhor nas melhores condicoes.

  15. André diz:

    as melhores condi√ß√Ķes n√£o existem nem para a maioria dos √°rbitros, nem para a maioria dos jogadores, nem para a maioria dos treinadores. A √ļnica coisa que se exige de cada um √© que fa√ßa o seu melhor, nas condi√ß√Ķes poss√≠veis.

  16. pantoja diz:

    o director que va fazer ao lima5 fazer queixa ao carlos carvalho que sao 2 corropotos

Comentar